A vergonha do véu rasgado

E o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo.”
                                                                                                                                          Mc 15.28


      O templo lugar sagrado para os judeus, sua estrutura original construída por Salomão sendo ela toda coberta de ouro, Era um dos orgulhos do povo de Israel. Nele estava toda a adoração do povo ao seu Deus, Adonay, A adoração começou através do uso do tabernáculo no deserto o projeto original dado a Moisés, as três divisões feitas de forma simples e cada um delas contendo suas atividades e causas específicas. O rei David pós em seu coração sua construção o local para que o seu Deus fosse adorado, um lugar que fosse o melhor que os homens pudesse fazer em sua geração.
        O átrio do templo era o local do sacrifício, onde todas as oferendas a Adonay eram postas e cortas, o lugar do altar, que expressava o arrependimento através dos sacrifícios de expiação pela culpa e pelo pecado, o local da chegada e da invocação a Deus. O começo de todas as fases da nossa adoração passava pelo átrio, sendo aceito por Deus, para o sacerdote poder ir para o Lugar Santo. O segundo lugar estava os pães, o candelabro, a pia de cobre, O lugar da comunhão onde os sacerdotes estavam ali para se ter à comunhão com Deus todos os materiais tinham suas referencias dentro do tabernáculo ligando o povo judeu a Deus em toda a sua adoração.

1 - O lugar santíssimo

          A terceira parte é a principal do templo, o lugar santíssimo, onde a presença de Deus estava no meio do propiciatório, entre os querubins que estavam em cima da arca da aliança. O local que o sumo sacerdote só entrava uma vez por ano diante da arca. A queda do homem afastou a presença de Deus, o povo tinha total conhecimento e estava provando de que a presença de Deus em seu meio seria prejudicial se eles não seguissem todas as suas leis, institutos e mandamentos. O seu Deus era santo e pessoal se fazia presente em seu meio, um povo acostumado com os deuses de pedra e mortos do Egito não estavam prontos para ter essa comunhão. Ninguém imaginava que o seu Deus habitaria em seu meio, a sua presença era real em no arraial de Israel.
           Israel conquistou seu território sua terra prometida em um período de cinco anos, suas batalhas e suas conquista muitas delas tiveram haver com a arca da Aliança, com a presença de Deus em seu meio. Mais de quatrocentos anos se passou, e a casa do Senhor continuava do mesmo jeito jogado, a tenda que fora feita no deserto continuava sendo o lugar de adoração a Deus, a arca foi tomada pelos filisteus na época de Samuel, sendo levada cativa e devolvida depois de um tempo. O povo fez descaso da arca de Deus, até que um homem chamado David resolveu trazer a arca para perto de si, um homem que tinha o pleno conhecimento de que o Seu Deus precisava estar perto dele.

2 - O templo

         David levara a arca para Jerusalém, a sua pequena tenda estava no centro da cidade perto do seu palácio luxuoso, todo o dia Davi presenciava todos os dias até que o seu coração se volta para construir um lugar, um templo para por a arca, a presença de Deus no meio do povo, trazer a Kabod de Deus para o centro de Israel. Deus não deixou Davi construir, mas sim seu filho Salomão. O templo foi construído I Rs 8.10, consagrado para Deus e a Kabod ou Kavod (glória) de Deus tomou conta do lugar. Anos se passam e o povo abandona a Deus seguindo a outros deuses, o templo fica abandonado, mas permanece. O castigo de Deus sobre a nação vem e toda a beleza e da estrutura do primeiro templo e destruído e muitos de seus objetos levado para a Babilônia. Após 70 anos de cativeiro no reinado de Ciro e dada à ordem para a Construção do segundo templo.
         O período de reconstrução do templo foi muito grande apesar de muitos dos judeus não fazer questão de reconstruir o templo a Deus, são advertidos, por Ageu, Amós, Esdras e Neemias, que estiveram à frente do povo os fortalecendo e ajudando a colocar o templo em pé de novo. Ageu (Ag 2.9) profetizou que a glória do templo seria maior do que o primeiro templo, mas como poderia ser? Para isso acontecer teria que estar completo todos os objetos que estavam na Caldeia são devolvidos para seus verdadeiros donos Ed 1.11, mas, não se tem relatos de um bem valioso para os judeus.


3 - O que o véu escondia?

          No livro de Ageu e Esdras podemos ler que os mais antigos choravam por causa do templo, por causa de sua beleza, mas vamos analisar, será que os anciões choravam por causa do templo ou por algo a mais? No livro de Ezequiel em sua visão nos capítulos 9 a 11, principalmente nos capítulo 11, vemos a Kabod de Deus deixar o templo em Jerusalém, saindo e parando sobre o monte. Ora, a glória de Deus o que mantiveram Israel protegido durante todo o início do seu reinado estava deixando a sua cidade, 70 anos de cativeiro passa, o templo é reconstruído vem à reforma feita no templo por Herodes, o Grande e aquele véu que outrora, era importante escondiam um grande segredo. O mesmo templo em que o véu foi rasgado na morte de Jesus.
          A arca da aliança havia sumido, não estava em seu lugar, onde era para estar, a última menção a Arca é no período do rei Ezequias, após isso não temos mais notícias sobre a arca. Os anciões que voltaram do exílio tinham a vaga lembrança da arca, eles sabiam que a presença de Deus não estava no meio deles, as promessas de castigo. A gloria de Deus não acompanhou a edificação do segundo templo. A bíblia não cita em nenhuma outra passagem nos textos pós-exílio sobre a arca da aliança. 
           O véu do templo se rasgou na morte de Jesus, simplesmente ela demonstra o vazio que estava por traz do véu, mostrou o vazio espiritual de todo o povo de Israel, como poderia o povo de Deus sem ter a presença e comunhão dele?


Conclusão

         Como estão nossos templos? Será que estão cheios da presença de Deus assim como está escrito em I Rs 8.10? Ou será que eles estão iguais ao templo de Herodes, escondendo e tendo uma vaga lembrança do que Deus fez, muitas vezes temos saudades do que Deus já fez em nossas vidas. Será que não trocamos a presença manifesta da KABOD por simples e poucos momentos de distração, trocamos o Deus vivo por cantores famosos, pastores de boa eloquência? Onde está a nossa comunhão com Deus? O que fizemos com ela?
        Tiago 4.8Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpem as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações". Que possamos nunca esquecer daquilo que realmente e importante para nos, que em nossos corações como templo do Espírito Santo de Deus (I Co 6.19).



BLOG ATUALIZADO

A VERDADEIRA PROSPERIDADE


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.