A casa do luto

by julho 20, 2019
Melhor e está na casa do luto do que onde há festa. Ec 7.4 


Ao estar em um velório de partida de uma irmã querida. A palavra de Eclesiastes me veio em mente. E fiquei pensando o que Deus tinha para mim naquele lugar. Conhecia os familiares desde a minha adolescência e vi os filhos dela crescerem e se casarem. Naquele lugar compreendi o porquê das sábias palavras de Salomão.
Só vai para a casa do luto quem se importa com os familiares quem tem algo a passar e dizer para os familiares. Mas, nesse em especial tinha muito a aprender.

1. Quando a esperança acaba.

É um livro que eu gosto muito e uma das histórias pra mim que são das mais belas dentro da bíblia. A história de um homem que perdeu tudo aquilo que ele tinha, filhos, bens (gados) e por último a sua saúde.  Tinha tudo para deixar de confiar em Deus. Mas, a sua fé era maior do que a sua dor (Jó 1.20) ele tinha motivos para deixar de crer mas não largou a sua convicção. Ora, não tinha mais nada que pudesse obter para lhe dar paz. E o único conselho de seus familiares mais perto era amaldiçoa teu Deus e morre.
Jó sabia que a única esperança era o Deus a quem era fiel (Jó 19.25) o qual com todos os seus problemas e dores  ele veria a Deus com a solução. E mudaria a sua situação.

2. Quando há esperança na resposta.

A dor da perda para nós cristãos possa ser diferente do que a de Jó. Mas, nos agimos como David o qual jejuou pela vida de seu filho fruto de um adultério e após sete dias sem comer e sem tomar água ele sabe que seu filho faleceu (II Sm 12.15). Não se tinha mas nada a ser feito Deus não traria o seu filho de volta. E a ação de David foi mudar suas vestes e ir adorar ao Senhor.

3. Quando a nossa esperança é no futuro.

Hoje muitos de nós não conseguimos compreender o que Deus faz. Ele sempre agirá da melhor forma apesar de nossa dor física as vezes parecer superior e não vamos conseguir suportar. Mas a nossa esperança para quando um ente querido morre em Cristo é a esperança de um dia nós reencontramos novamente nos braços do pai.
 Mas, o melhor da parte de Deus se cumpriu. Cabe a nós termos a fé de que um dia os que dormem no Senhor ressuscitarão e depois nós seremos transformados em um corpo glorioso (I Ts 4.13-15).

Shalom.

Você é seguidor?

by julho 15, 2019
"Enquanto caminhavam, um homem lhe disse: ‘Senhor, seguir-te-ei para onde quer que vás’. Lc 9.57
Somos chamados para sermos servos de Cristo e seus seguidores. O apóstolo Paulo se coloca como sendo um firme seguidor de Cristo, o qual não tinha do que se envergonhar do evangelho (Rm 1.16). O evangelho de Lucas nos dá três exemplos clássicos de pessoas que não seguem a Cristo. E os seus principais motivos.

1. O que se preocupa com a casa.


Em Lc 9.58 Jesus responde ao escriba ou simplesmente ao homem que disse que o seguiria é que ele não tinha onde descansar. Julgamos muito o fato de Jesus ter feita a comparação  com dois animais a raposa e os pássaros. Ora simplesmente eles estão bem protegidos de seus inimigos e seguem diretamente aos seus lares quando se aproxima a noite. Em lugares onde se tem um número grande de pássaros podemos notar que durante o anoitecer os pássaros procuram os seus abrigos para se acalmarem e estarem protegido dos perigos da noite. O escriba estava acostumado com o conforto de sua casa, se fosse nos dias de hoje ele não queria trocar o seu ar condicionado ou o seu aquecedor para passar calor ou frio em qualquer lugar.
O que falar de Jacó que passou noite em claro deitado no chão com a cabeça em cima de uma pedra e pode contemplar a maravilha do trono de Deus e seus anjo subindo e descendo na cidade de Betel (Gn 28.10-18). Após a maravilhosa visão reconheceu que Deus estaria em sua jornada para lhe proteger e edificou ali uma coluna e fez um voto ao Senhor o que cumpriu na volta. E Marta mulher ocupada com os afazeres domésticos e criticava sua irmã que estava aos pés de Jesus escutando suas palavras e seus ensinamentos (Lc 10.38-42). Precisamos mudar o nosso foco queremos o conforto de nossos lares enquanto fomos chamados para estarmos fora de casa buscando pessoas para o reino de Deus.

2 O que se preocupa com os mortos.

A perda de um parente e doloroso para todo. Jesus não era contra o sentimento de luto. Mas se faz necessário estar diante das nossas escolhas e deixarmos nossos sofrimentos para trás e prosseguir em frente. Jesus passaria por isso em sua última semana na terra. Ao saber da notícia que Lázaro estava doente Jesus prefere continuar fazendo a vontade do Pai e aquilo que ele fora enviado a fazer. O Livro de João nos diz no capítulo 11 que somente após quatro dias após a morte de seu amigo ele foi até a sua cidade (Jo 11.11,14-15). Sem dúvida uma das poucas passagens que demonstra o lado humano de Jesus, o qual esquecemos muitas vezes. João narra que a vida de seu amigo era importante para ele, mas, as vidas que precisavam escutar e ver que a salvação de Deus já havia chegado a terra era maior.
É isso que Jesus se referiu a pessoa que ele chamou a segui-lo. Ora a resposta deixa enterrar o meu parente morto. Não podia ser feito mas nada além a não ser esperar pelo dia do juízo (Hb 9.27). Quando se trata de família e difícil tomamos nossas decisões primeiramente ficamos preocupados com nossos filhos e entes queridos e isso nos leva ao terceiro exemplo. 

3. O que coloca a família em primeiro lugar

Pode parecer uma contradição com os ensinamentos de Paulo, Mas, Jesus em muitos momentos deixou sua família para cuidar da obra de Deus (Mt 12. 46-50). O que me leva a vida de seus discípulos que largaram tudo por amor a obra de Deus. Pedro, e seus amigos pescadores deixaram seus afazeres para viver uma vida que eles não tinham a consciência de como seria Mt 19.27, mostrar o amor de Pedro pela vida que ele escolheu viver durante os 3 anos e meio que Jesus passou na terra e pela missão que ele levaria durante toda sua vida.
Pedro optou por amar uma outra família, o qual ele teria irmãos adotivos de todos os cantos do mundo e todas as épocas. Somos levados a escolha de não perder a nossa família e sim de ganharmos uma família muito maior por causa de nossa missão e propósito que nos fora entregue.

Shalom Lekulam

Sois, fortes

by julho 12, 2019
"Pais, eu vos escrevo, porque conheceis aquele que é desde o princípio. Jovens, eu vos escrevo, porque vencestes o Maligno." 1 Jo 2.13
Hoje um dos grande perigos do mundo é uma doença chamada depressão. Ela chega devagar e quando menos se espera a pessoa está dominada por ela. Segundo o portal do doutor Drauzio Varella depressão é: "Uma doença psiquiátrica crônica e recorrente que produz alteração do humor caracterizada por tristeza profunda e forte sentimento de desesperança." Logo uma doença que pode alcançar qualquer pessoa depende do seu gênero, classe social, faixa etária e religião. Vemos no Brasil muitos casos de pastores se suicidando por não aguentar a pressão do ministério ou por problemas maiores. Apesar de alguns pensarem ela não é uma doença nova já existe a milhares de anos e afetou grande governadores e outras pessoas.
O discípulo amado João escreve para a igreja, principalmente aos Jovens: “Eu vos escrevo porque sois fortes.” (1 Jo 2,13-14). A palavra para Jovens usada por João é "neaniskos" o que refere-se a uma pessoa até quarenta anos de idade. Ao longo das páginas sagradas temos exemplos de diversos jovens que passaram por problemas. Mas, foram os jovens quais João escreveu. Eles viveram antes de João mas, o exemplo deles servia de exemplo não só para o que antes fora um jovem quando andava com Jesus ao escrever já lhe tinha certa idade. E que tinha passado por várias fases da vida durante a sua juventude.

1. Jovem sonhador.


O primeiro exemplo que eu trago é o do jovem sonhador. A idade onde todos fazemos planos e sonhos para o nosso futuro. É a partir da saída do colegial que nós começamos a pensar o que queremos fazer da vida, que rumo nós devemos seguir. Profissão, família, bens materiais, faculdade e todos os sonhos e desejos que temos em nosso coração. A bíblia nos leva a um jovem de aproximadamente 17 anos de idade quando teve alguns sonhos. Hoje este jovem estaria terminando os seus estudos básicos e partindo para uma vida adulta e cheia de responsabilidades e afazeres. E a época onde os jovens fazem o alistamento militar para servir o seu país e cumprir com o dever civil.
O tempo era outro, filho de um pai que tinha dez filhos antes dele, sendo o preferido do seu pai o que provocava ciúmes nos demais. E sonhou um sonho (Gn 37.5), muitas vezes as pessoas que estão ao nosso redor não gostam quando sonhamos. José teve sérios problemas com seus irmãos por causa de seus sonhos. Jovem não tem medo de ter sonhos ousados de enfrentar o mundo e sabe que não tem limites para aquilo que ele quer fazer. José foi vendido por seus irmãos a mercadores humanos os quais levaram para o Egito (Gn 37.26-28). Após a sua venda pro seus irmãos ele tinha todo os problemas para se entregar aos problemas e para de sonhar. José poderia ter sofrido de depressão se entregar a sua situação de escravo e servidão. Suas esperanças poderia ter um final, seus sonhos poderiam ter sidos mortos em sua mente. Mas, ele foi forte e soube esperar o momento do cumprimento de seu sonho. Vendido para Potifar e foi acusado injustamente pela mulher de seu dono de tentativa de estupro (Gn 39.7-12). Parou no cárcere, a sua situação era mais baixa ainda se ele tivera algum sinal de esperança nos seus sonhos se realizarem creio que devido aquela situação colocava um ponto final definitivamente. José após anos de servidão no Egito ele sai do cárcere e passa a governar toda a terra do Egito (Gn 41.33-44).


2. Jovem determinado.


José tinha uma virtude que deixava ele sempre confiante ele era determinado. Sempre buscava fazer tudo da melhor forma para seu senhor. O que nos leva a um segundo jovem. Muitas vezes quando temos um sonho alto pessoas vem para querer nos desanimar. Olha esse sonho é grande demais para você, jamais conseguirá realizar. Nosso segundo jovem recebeu uma missão de olhar a terra que seria a sua morada pelo resto de sua vida. Josué e Calebe e mais dez outros jovens foram escolhidos para ver a terra e trazer o relatórios. Ao passar quarenta dias percorrendo a terra voltando com as novas. Para a maioria as novas não eram boas em Nm 14 acompanhamos a história dos doze espias. Ora como seria fácil se a fé deles fossem igual a dos dois jovens de quarenta anos. Calebe se levanta e diz a terra é boa e vou conquistar (Nm 14.6-10). Apenas os dois conseguem entrar na terra prometida por causa de sua determinação. O problema que muitos viam na terra era os gigantes os filhos de Anakin. Depois de 41 anos Calebe ainda tem que enfrentar mais três gigantes para tomar posse de sua terra (Js 15.13-14).
Calebe poderia entrar em crise existencial, o que muitos chamam de depressão. Por causa da incredulidade dos outros ele teve que passar mais trinta e oito anos no deserto. Passou mais cinco lutando para colocar todas as tribos em sua possessão. E depois disso tudo lutar pela sua terra.


3. Jovem de princípios


Assim como Calebe existiu um jovem contemporâneo de João que fazia muita diferença. Não diz a idade dele mas, sofreu por ser jovem diante de pessoas mais velhas e preconceituosas. A bíblia diz que ele era filho de pai grego e mãe judia e mesmo assim servia ao senhor. Passou pelo processo religioso judaico para poder ser aceito pelos judeus. E andava com um dos maiores líderes do cristianismo. Nos livros da bíblia temos dois livros que levam o seu nome, os quais teólogos as classificam como cartas pastorais. O jovem Timóteo, sofreu perseguições e prisões juntamente com Paulo. Foi açoitado chicoteado mais em nenhum momento ele pensou em abandonar, ou se passou perto sempre buscou algo maior.
Por tudo que ele passou ele seria um forte candidato a sofre de depressão. Mas, ele estava firme naquilo que ele tinha aprendido. O que era constantemente lembrado pelo seu discipulador (II Tm 3.14-15). Um líder do cristianismo da segunda geração, o qual fez muita diferença após a morte de Paulo ou nas prisões de Paulo levando firmemente a palavra os discípulos de Cristo espalhados pelas igrejas abertas por Paulo. Não se conta a vida dele nas páginas sagradas mas, seu nome está para sempre lembrado e serve de exemplo até os dias de hoje para todos os líderes do cristianismo, os quais são ensinados e escolhidos dentro das suas cartas.


Poderia passar mais tempo aqui relatando sobre que poderia ter desistido. E sofre de problemas de depressão. Mas, os que foram aqui citados são exemplos de pessoas que enfrentaram muita coisa por amor a Cristo. Poderiam ter perdido os seus sonhos, ter ficado sem uma terra para chamar de sua e voltar a ser escravo ou poderia largar aquilo que tinham aprendido desde pequeno e ir para outros caminhos.

Shalom Lekulam.

A Casa

by julho 02, 2019
“Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” 2 Co 6.19


Todos nós temos um lugar para descansar e pousar. O lugar onde nós chamamos de casa, lar, moradia, cafofo, barraco e outros apelidos carinhosos para casa. A passagem de 2 Coríntios nos fala sobre nós sermos morada de Deus. A ideia de que somos uma habitação de alguém nos faz refletirmos e irmos um pouco mais além de nossa simples vida.

1. As portas


Pensamos que isso é um conceito novo do tempo da graça mas, os judeus já tinham esse pensamento e tomavam essas atitudes para com os a sua vida diária com Deus. O salmista escreveu "Levantai ó portas as vossas cabeças" fica a pequena pergunta quando é que porta tem cabeça? Dentro da cultura.judaica nos leva a crer que seja o que eles chamam fator Dalet. No hebraico a palavra Deus está contida na palavra judeu ou Judá. Sendo que a única diferença é a letra Dalet que fica no meio da palavra. Mas, onde está a porta? Na própria letra o qual também.para nós é interpretada como porta. A passagem representativa do povo de Israel não se tem dúvidas de que ele é o exemplo para aquele mundo. “O relógio de Deus” como alguns pregadores antigos se referem para Israel. O que a igreja se tornou nos nosso dias? Somos a habitação do Espírito Santo, o mundo espera que nós sejamos mais. Jesu nos comparou com o “sal da terra” (Mt 5.13) e a “luz do mundo” (Mt 5.14) . Assim, vemos com é grande a missão que nos é confiada.
Deus espera que sejamos aquilo que ele criou. E que se volte para a comunhão que fora perdida no Éden. Os israelitas seriam o povo escolhido para ser essa representação da perfeita comunhão de Deus e homem. O afastamento do povo desde o Monte Sinai (Ex 20.19) negando o relacionamento que Deus tinha dado aos seus patriarcas. A qual passou para um povo que não conheceu a Deus em sua origem (Is 55.5; Rm 10.19). Somos este povo o qual, Deus pôs suas esperanças para que o mundo pudesse ser aquilo que o plano original estivesse em prática.


2. Somos Templos.


A igreja passou a estar na terra e mudou categoria. As portas saíram e entraram os templos do Espírito Santo (1 Co 6.19), a morada de Deus. Jesus disse para os seus discípulos que ficassem em Jerusalém até que fossem revestidos de poder (Lc 24.49). O ato acontece no dia de pentecostes (At 2) a partir daquele momento está fundada a Igreja de Cristo. Após o revestimento Pedro sai as portas do cenáculo e prega para todos que estavam na cidade e mais de cinco mil pessoas se convertem a Cristo.
Virar templo não é fácil, muitos acham que ao aceitar a Cristo já se torna um templo, não deixa de ser verdade, mas, a qualidade do templo só passa a ser quando você aprender a morrer. João Batista ao ser interrogado pelos seus discípulos se ele não tinha ciúmes que Jesus estava fazendo o mesmo trabalho que ele fazia. A resposta é simples e que deve ser a frase de todos os que são templos. Que Ele cresça e eu diminua (Jo 3.30). o segredo da verdadeira morada é diminuir a cada dia e deixar ele reinar. De maneira nenhuma podemos dizer que nos matar a cada seja fácil. Compreender as palavras do apóstolo Paulo que diz. Que para mim o morrer é viver. E o morrer é viver e o viver pra mim é Cristo (Fl 1.21).

Porque ser a casa a morada de alguém? Essa deve ser a grande indagação de nós hoje ou quando lermos esse pequeno texto. Devemos ser a casa pelo simples fato de Ele ter se entregado por nós. Ofereceu o que tinha de melhor para que pudéssemos estar ao seu lado e para que a sua Luz possa brilhar em nossas vidas.

Shalom Lekulam.

O SERVO INÚTIL.

by junho 28, 2019
"Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis; fizemos somente o que devíamos fazer." Lc 17.10

Dizemos que somos servos. Mas, estamos servindo a quem? Muitas passagens relatam sobre servidão e mordomia, mas, nenhuma delas é igual a passagem de Lucas. Vamos analisar a passagem de uma forma simples e rápida. O fator histórico nos diz que era difícil um servo sentasse a mesa de seu senhor. Jesus o conduz sua parábola para seus discípulos. O início da parábola vem diretamente de um questionamento: “aumenta-nos a fé”. O texto é único em todas as passagens que falam sobre ser servo. Aquele servo era útil para o seu senhor pois, ele cumpriu todas as ordenanças que fora dada para ele. Podemos analisar dentro da bíblia diversos exemplos de servos que foram úteis para seus senhores e nenhum inútil. 

José

Começamos  pelo exemplo de José o qual foi escravizado e mesmo assim, não deixou de servir a Deus e permanecer  com o seu caráter a qual foi ensinado. Na hora de sua provação com a esposa de seu senhor, Potifar, não deixou de ser fiel a ele (Gn 39.1-21). Sua atenção estava voltada aos seus afazeres e não aos seus desejos. José estava acostumado a ter servos a sua disposição morando com seu pai. E se vê na mesma situação. Não sabemos como era a vida de José com os servos de seu pai. Mas, podemos imaginar que ele tinha o conhecimento de que a vida não era fácil. A exaltação e os planos de Deus para sua vida dependia de sua fidelidade para  os seus senhores.
Com todas as provações que ele passou em sua vida de servidão fazia parte de um plano melhor. Deus tinha um projeto que dependia da vida de José e que era necessário que ele fosse escravo para se tornar algo maior. A salvação de seus parentes estava nas mãos de seus atos e gestos como servo de seus opressores.

Josué.

Nem sempre a escravidão é um motivo para a servidão. Josué se tornou o braço direito de Moisés durante os longos anos no deserto. A servidão de Josué não era obrigatória a liberdade e o respeito para com o seu líder o tornava servo fiel (Nm 11.28). Por estar sempre por perto de Moisés e seguir firmemente suas instruções. Deus abençoa a Josué o qual substituiu Moisés após a sua morte. A sua liderança de baseou sempre nos ensinamentos e naquilo que ele aprendera com Moisés.
Uma vida de servidão que dependeu da vida de José mais de 400 anos antes de Josué nascer. A servidão a Moisés só pode acontecer por causa da servidão do Egito e o desejo de ser livre e ter a sua própria liberdade.

O servo inútil

Dois exemplos de servos úteis que cumpriram os seus deveres de servos em suas limitações e obrigações. Mas mesmo assim o que podemos dizer a mais sobre eles? Os dois apenas cumpriram suas obrigações para com seus senhores e seus líderes. Para nós eles seriam o exemplo ideal para seguirmos. Mas, eles fizeram nada mais daquilo que era o serviço deles a se fazer. Assim, Jesus nos mostra que aquele que faz o seu serviço obrigatório não faz nada mais que a sua obrigação. Somos servos de Cristo, somos responsáveis por levar a sua mensagem para toda a criatura. O ide (Mc 16.15) de Cristo é apenas um e muitas vezes nós negligenciamos aquilo que nos é posto para fazermos.
Deus não precisa de nossa ajuda, não damos lucratividade para Deus. Somos servos através da graça, que é um favor imerecido, apesar de todos os nossos esforços para fazer a sua obra possamos dizer que somos apenas um pequeno servo inútil.

Shalom lekulam.

EU PRECISO IR A IGREJA?

by junho 23, 2019


Uma das coisas mais notáveis a respeito da igreja do Novo Testamento é que ela incluía constantes reuniões de seus membros. Hoje, até mesmo as denominações possuem algum tipo de culto de adoração e esperam que seus membros “vão à igreja”. Cedo ou tarde, todos nós acabamos por fazer esta indagação, se precisamos ou não frequentar uma igreja? O que a Bíblia ensina a respeito disso? A frequência à igreja é essencial? Falar de “frequência à igreja” é, num sentido, redundante. É usar duas palavras no lugar de uma; a palavra frequência é praticamente desnecessária. A palavra igreja no grego significa “assembléia” ou “congregação” Ela envolve, por definição, uma reunião. Não é possível haver igreja sem uma assembléia. Se você acha que pode fazer parte da igreja sem participar do reunir-se, está pensando em algo diferente do significado da palavra traduzida por “igreja”. A Igreja não tem a necessidade do templo emoldurado com luxos e com aparatos que induzem que somente ali Deus está.
“O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;” At 17:24

Como seguidores, cristãos, caminhantes da Graça de Deus, podemos ser igreja em qualquer lugar que estejamos, gerando de forma voluntária os três aspectos que o encontro da igreja proporciona aos seus participantes, conforme Hb 10:25-26:

1) Somos Ajudados:

Confessamos, ouvimos, somos amigos, sem interesse, sem querer que a pessoa venha para nosso “clubinho evangeliquez”. Apenas ajudamos e somos ajudados, seja fazendo um almoço para chamar os amigos (sem ter que fazer aquela pregação eloquente e cheia de pseudo espiritualidade antes da refeição para demonstrar a sua espiritualidade), quando ajudamos na mudança de casa do novo vizinho, seja carregando aquele sofá pesado ou preparando um lanche no meio da tarde com aquele suco refrescante de cupuaçu, ou até mesmo, você pedindo ajuda ou conselho, conversando e compartilhando aquele problema que você tem (mas que muitas vezes não fala para ninguém, por que você tem a falsa obrigação de ser o megaultrapowersuper homem do avivamento e que nunca, jamais, pode demonstrar fraqueza ou que passa por algum problema). Ser ajudado ou ajudar, é ser humanitário, Jesus por onde passava queria saber as histórias, as dores, os motivos, as aflições. 

2)Podemos Encorajar Outros:

Não conseguimos encorajar pessoalmente alguém no meio de uma multidão, no máximo podemos olhar para a multidão e dar uma mensagem positivista, motivacional, chegando a ser enfadonha e muitas das vezes incompreendida, gerando pessoas repetidoras das mesmas receitas médico-espirituais que talvez darão certo ou não. Encorajar é olhar nos olhos, conversar, ser bom ouvinte, é se relacionar. Paulo ensina em Rm 12: 13-16 “Comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade; Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis. Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram; Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos;” Relacionamento que cria encorajamento, investir tempo, ser amigo e não manipulador. Ensinar sem persuadir. Ensinar o que vive e transmitir a verdade sem receita pré-definida.

3) Podemos Adorar a Deus:

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” Jo 4:23. Para muitos, você é a Bíblia em que seus colegas de escola ou de trabalho leem. Por mais que as pessoas saibam que você pode ser cristão, mas esperam um testemunho em que você não pode ouvir uma música secular, ou dizer um palavrão, ou assistir um programa de tv por que fomos ensinados dessa forma. Mas a vida em Jesus é muito mais que uma vida de regras em que você arderá no fogo do inferno caso você não as cumpra, não! Quando passamos a conhecer a Verdade de Deus, ela produz liberdade (Jo 8:32) e não aprisionamento de cultura ou de expressão de criatividade. Deus deu a humanidade o privilegio de dar prosseguimento da sua criação do Jardim do Éden e não o atrofiamento de nossos pensamentos. Nossas vidas não podem ser vividas sobre a opressão do que os outros vão pensar, se estou dando ou não testemunho bom do Evangelho. Mas sim, se que sou livre e, dentro dessa liberdade que possuo, eu tenho domínio sobre minhas atitudes e controle sobre meus atos, não responsabilizando Deus ou o diabo por minhas ações, mas assumindo minha responsabilidade e sendo voluntariamente um adorador em essência de Deus, todo o dia, toda a hora, todo o minuto, a cada segundo. Sem peso. Sem opressão. Sem pressão.
Do contrário não é graça, mas desgraça!


TEXTO DO MEU QUERIDO AMIGO MARCELO ALMEIDA

A geração de Mical

by junho 17, 2019
"Aconteceu que, entrando a arca do Senhor na cidade de Davi, Mical, filha de Saul, observava de uma janela. E, ao ver o rei Davi dançando e comemorando perante o Senhor, ela o desprezou em seu coração." 2 Sm 6:16

Muitas músicas gospel vem demonstrando a importância de um louvor extravagante ou sincero. Por muito tempo as igrejas foram proibidas de adorar a Deus de uma forma espontânea e livre, sempre seguindo o padrão robotizado e do "isso é errado'. Desculpas igual a "desse mundo eu já pertenci", "isso não é de Deus" e outros mais que prendem a adoração a Deus. Assim com essa pequena introdução ao mundo atual cristão de algumas igrejas. Falaremos de Mical é um exemplo de um crente preso a plastificação da adoração. Filha de Saul, ex rei de Israel e herdeiros ao trono ou estava na linha de sucessão. Vê seu marido David se expor no meio do público uma adoração extravagante e sincera. Alguns mais tradicionais podem dizer mas, ele estava nu (2 Sm 6.20) sem roupa. Se esquecem do ponto culminante, o motivo que levou Davi a dançar no meio do povo. A cultura do povo judaico é festivo e com muitas danças. No livro de Salmos nos diz que devemos louvar ao senhor com danças (Sl 150.4). Então porque deixamos de agir dessa forma? Porque estamos agindo como Mical?
O motivo de David.


David trouxera para a cidade de Jerusalém a Arca da Aliança(2 Sm 6) o que estava abandonada desde os dias da morte de Eli. No livro de Segunda Samuel vemos a primeira tentativa humana de levar a presença de Deus para o meio de Israel. Fracasso total o que causou a morte de uma pessoa. Ele estava acostumado com a "presença de Deus" em sua casa ao ponto de tornar comum e sem valor para ele. Muitas vezes agimos dessa forma a nossa adoração a Deus se torna comum e rotineira. Adoramos a um Deus vivo como se estivemos em um enterro e presos por cadeias que nos impede de adorá-lo em espírito e em verdade. Tornamos o culto de adoração e celebração a Deus em um mero encontro social. Com suas regras definidas e seu tempo cronômetro ado para tudo. Somente ao buscar a forma correta de se levar a Arca da Aliança que ele obteve o resultado e conseguiu levar para dentro de sua cidade.


Mical e suas prisões


Para Mical possa ser que aquele objeto não tivesse nenhuma importância. Não sabemos se ela tinha o conhecimento das atividades de David a respeito da arca. Ela podia estar acostumada com todos os rituais e costumes de seu povo a respeito de adorar a Deus. Mas seu coração estava longe dele. Uma das mais belas passagens para mim sem dúvida está em Jó 42.5, um homem que seguia todas as tradições e costumes da sua época a respeito de como adorar a Deus não conhecia a verdadeira forma de agradar a Deus. Às vezes é preciso mudarmos a nossa forma de adoração para conhecermos que Ele se faz presente.
O que lhe dá prazer? O que te atrai? Exaltamos e engrandecendo aquilo que nós damos importância. O que tem valor para nós exultamos e engrandecemos. Por esse motivo levar a arca era imprescindível para Davi. E para a sua esposa não tinha importância. Agimos muitas vezes como Mical, e negamos a importância da presença de Deus em nosso meio e nos prendemos por ritos e dogmas religiosos sem valor.


E como adorar a Deus?


Se você me perguntasse qual é a forma correta de se adorar a Deus? Simplesmente lhe responderia não existe. A forma de você adorar a Deus é com liberdade. Sem estar presos a religiosidade, não é bater palmas por causa dos outros. Não é dançar porque seus amigos fazem parte do ministério de dança. É ser livre para celebrar e adorar ao criador de todas as coisas. O livro de Salmos vem nos mostrando a forma como os salmistas O adoravam. Louvai ao Senhor na beleza de seu poder, louvai ao Senhor com címbalos sonoros, todo o ser que respira louve ao Senhor.
A adoração mecânica e plastificada não leva a lugar algum. Precisamos de experiências vivas e sinceras para com Deus. Nosso Deus é Vivo e a sua adoração tem que ser viva e eficaz.

Shalom Lekulam.

Manopla ( a joia do poder)

by maio 25, 2019
"E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra." Mt 28.18

Tubalcaim, Faraó, Nabucodonosor, Ciro, Alexandre, o grande, Hitler, Stalin e muitos outros. Todos estes tiveram o sede pelo poder a ânsia de conquistar todas as nações e a humanidade. Pessoas que tiveram seus motivos para quererem dominar. O Egito grande país avançado em tecnologia com uma bacia hidrográfica fértil e rica. Era de notar que seus líderes quisessem ter o controle de todo o resto do mundo. Assim foram os outros com o menor tamanho e a grandeza do Egito antigo.
Jesus disse que todo o poder foi dado a ele, mas, que poder? Ao vermos a sua vida podemos notar que o poder que ele tanto pregou ele não teve. Alguns podem dizer mas era para cumprir a passagem de Isaías 53, o servo sofredor, a sua vida foi de sofrimento e dor ao longo de seus trinta e três anos.
Vamos ver qual era o poder. Jesus ao ser questionado por Pilatos ele disse que o seu reino não era deste mundo. Logo, o seu poder também não era, então, a sua autoridade vinha de outro lugar. O seu poder estava relacionado com a vida, com o poder que vinha do alto. É esse poder que ele se referia e deixou para os nós.
Somos chamados para fazer o seu ide e fazer obras maiores as quais ele fez. Voltarei um pouco mais no tempo. Em II RS 2 lemos sobre o arrebatamento de Elias. O pedido de Eliseu foi provado dobrado do espírito de Elias, ou melhor, do espírito que estava sobre a vida de Elias. E podemos notar que a partir do capítulo três de II Reis os milagres que Eliseu realizou obras maiores que Elias. Assim, nós somos chamados e levados fazer obras maiores que Cristo. O poder que vem do alto está sobre a nossa vida. Este é o verdadeiro poder que move o mundo, a unção que Deus nos deu através da morte de Cristo no calvário.


Shalom Lekulam.

Uma carta de Amor

by maio 09, 2019

Vocês demonstram que são uma carta de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo; não em tábuas de pedra, mas em tábuas de corações humanos.
2 Coríntios 3:3.
A Palavra de Deus é a carta de amor mais explicitamente escandalosa escrita em toda a história humana. Para compreendê-la é necessário receber Jesus como Senhor de nossas vidas e obedecer seus mandamentos.
Quem tem os meus mandamentos e lhes obedece, esse é o que me ama. Aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me revelarei a ele”.
João 14:21.
Este é o meu mandamento: Amem-se uns aos outros.
João 15:17.
Não existe uma medida exata para esse amor tão expressivo , tudo que sabemos é que mesmo sem merecermos Ele nos ama e cuida de nós. Não precisamos de outra referência, que não seja a do próprio Filho , há muitos ensinos sobre a salvação e a crescente expectativa de como será nossa vida nas moradas eternas , nos céus , porém não se trata de merecimento ou mérito mas sim de como já recebemos e vivemos essa salvação nessa vida , em meio as muitas lutas do dia a dia. O amor de Deus só pode ser visto através de nossas vidas , nosso comportamento e nosso testemunho pessoal , tudo o que somos e nos tornamos é o resultado de nossa vida no secreto , no tempo que gastamos para compreender e praticar sua Palavra e na comunhão com o próximo.
Faça para si a seguinte pergunta: Como anda minha vida ? Meus pensamentos e comportamentos tem sido prova de que Deus me deu o Seu Espirito? Estou amando como Cristo me ensinou? Reflita...
Somos carta e tesouro precioso para Deus , todo o nosso tempo , esforço e lucros devem se voltar para o que uma vez recebido possa ser desenvolvido , ou seja , nossa salvação.
Assim, meus amados, como sempre vocês obedeceram, não apenas na minha presença, porém muito mais agora na minha ausência, ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor,
Filipenses 2:12.
Que Deus abençoe a todos que em Cristo já estão salvos , divulgue , compartilhe , propague e espalhe a Palavra do Senhor.

Manopla (joia do Universo)

by maio 06, 2019
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”Jo 3:16
Um texto conhecido, se não o mais pregado nas igrejas. E limitamos ele por causa de nossa ignorância ou falta de conhecimento. A palavra que foi traduzida como mundo é κοσμον (kosmon) o que podemos traduzir como  “universo”. Então farei uma outra tradução. “Porque Deus amou o universo” se voltarmos para o primeiro versículo da bíblia (Gn 1.1) Podemos observar que a terra fora sua criação e ao longo de todo o capítulo observamos a construção de todo o sistema planetário que o homem conhece e aquele que ainda não conhece.
O homem procura olhar para as estrelas procurando muitas coisas: a origem humana, soluções para atuais problemas da humanidade, vida em outro planeta e enfim muitos mistérios e pesquisas que serão inúteis. Gosto muito do Sl 24.1 para mim o salmista foi perfeito e divinamente inspirado ou compor esse verso. “Ao Senhor pertence a terra e tudo que nela se contém. O mundo e os que nele habitam.”  Qual a importância damos ao nosso criador? ao dono da terra? Existe um ditado popular que diz: “Não sou dono do mundo, mas sou filho dele” Muitos colocam essa frase em seus carros, em quadros ou até mesmo tem essa frase como seu slogan de vida. Mas, qual é a importância que você dá para Ele?
Cientistas querem procurar o motivo para a origem de tudo, assim, como a jóia do Universo tem o poder de criar e destruir toda a vida existente. A procura incansável dos cientistas em querer matar o seu criador os tornam secos e sem vida. Porque é tão difícil aceitar a existência de um Ser Supremo? Detentor de um poder para criar toda a existência. Procuramos aquilo que é inexplicável ao invés de acreditar naquilo que é visível. Usamos a jóia do universo para satisfazer nossas vontades egoístas e nossos pensamentos humanistas. Pecamos em querermos nos colocar no lugar de Deus. Nosso egoísmo nos tira da sua presença e faz com que tudo aquilo que fora criado por Ele seja desfeito.
Qual seria a melhor demonstração de seu amor do que estes? De se doar para a vida de sua criação que o rejeita. E procura diversas formas de negar a sua existência? Sim, porque Ele amou criou tudo que existe ao nosso redor e o que não podemos ver. O ato de amor que se entregou através de um pequeno gesto que criou a luz. Meditemos na jóia que é esse grande Universo que demonstra a existência de um Deus tão grande.


Shalom.

Manopla do Cristão (Joia do Tempo)

by maio 03, 2019
O tempo sopra o meu rosto, me lembrando que o tempo vai com ele... ( O tempo - oficina G3). 
"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu." Ec 3.1

Salomão com toda a sua sabedoria escreveu no livro do pregador (Eclesiastes) que existe o tempo de tudo. Tempo de cantar, chorar, rir, dormir, acordar nascer, morrer e para outras coisas. Assim como a joia do tempo tem o seu poder de controle sobre tudo, o tempo exerce poder sobre nós. O que estamos fazendo com o nosso tempo??
Pergunta simples mas para muitos não saberiam me dar uma resposta, pois, não sabe o que se está sendo feito dele. Culpamos os nossos afazeres do dia a dia, trabalho, casa, faculdade (escola) e até mesmo a igreja. Mas quanto das 24 horas diárias nos damos para Deus? Em média o trabalhador pela CLT (código de leis trabalhistas) do Brasil passa oito horas do seu dia dentro de uma empresa, podendo variar para seis horas. E o resto  do nosso dia? Podemos estar dormindo o qual em média o recomendado seja de seis a oito horas de sono. E mesmo assim ainda fica faltando oito horas diárias.
Jogamos fora um terço do nosso dia com coisas muitas vezes supérfluas sem importância.
O que oferecemos a Deus o que nos deu a vida e nos criou? O salmista foi inspirado por Deus ao confirmar que Ao senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém (Sl 24.1). Deixamos a adoração de nosso criador e fugimos de sua presença por causa de nossos prazer. 
No livro de Lucas (Lc 12.20) resume o final do tempo terreno. Jesus diz que aquele homem que preparou tudo e abasteceu os celeiros de louco. Mas, o fim de seus dias estava as portas. E o que nos adianta ganhar o mundo e perder a nossa alma?

Voltemos busquemos verdadeiramente a Deus. O profeta Isaias  exorta ao povo de Israel a buscar a Deus em.quanto se pode achar. Hoje o alerta de estende até mim e a você. 
Voltemos ao primeiro amor busquemos a Deus com todo o nosso coração.POIS O SEU TEMPO ESTÁ PRÓXIMO.

A manopla cristã (jóia da mente)

by abril 29, 2019
Nesses dias o filme dos vingadores estreou e sem dúvida é o assunto mais comentado em diversos países. E por que um blog cristão deve falar sobre isso? Simples, as joias tem tudo haver com a vida cristã. Em seis semanas apresentarei pequeno comentário sobre cada uma específica.

"E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento*(mente), para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." Rm 12.2

A jóia da alma tem o poder sobre a vida das pessoas podendo até destruí-las. Mas, o que a Bíblia nos diz? O Apóstolo Paulo ao escrever para os cristão de Roma estava preocupado com a forma de viver daquela cidade e como eles se comportavam diante da sociedade. E em sua carta podemos analisar a completa mudança de vida que nós devemos ter diante da nossa sociedade como um todo. Jesus diz que nós somos a luz do mundo e o sal da terra. A importância de termos uma vida diferenciada é muito grande.
E porque mudar a mente? Não podemos ser seguidores de Cristo se nós mantivermos a mesma postura que antes. Cristo em uma conversa com um doutor da lei disse: “É necessário nascer de novo”. Como nascer novamente e continuar com o mesmo pensamento e ações? É a partir desse novo nascimento que as nossas ações e atitudes devem mudar. Paulo nos alerta ainda mais que somos uma nova criatura, as coisas velhas já passaram. Viver de forma do diferente de antes e uma das principais jóias que o crente tem.

Shalom lekulam.

O Bocado mollhado

by março 29, 2019
"Respondeu -lhe Jesus.É aquele a quem Eu der este pedaço de pão molhado no prato.” E tendo molhado o pedaço de pão, deu-o a Judas Iscariotes, filho de Simão." Jo 13.26


Ao ver um episódio da novela “Jesus” da TV Record, me deparei com a representação da “última ceia”. Ao longo de todo a cena veio os trechos das páginas sagradas em minha mente. Mas, uma simples frase me chamou a atenção. “AQUELE A QUE EU DER UM BOCADO MOLHADO”. Já li várias vezes essa mesma passagem creio que muitos de nós também passamos por essa passagem e não reparamos a profundidade desta frase de Jesus. Separei três pontos que me chamou a atenção.

1 - Representatividade do Corpo de Cristo

O evento ocorre logo após a ceia e a representatividade do Corpo de Cristo no gesto da ceia. Alguns dos símbolos mais importantes do cristianismo são demonstrados nessa passagem. O pão e  vinho (corpo e sangue). A partilha desse tem um simbolismo muito forte separado, mas, não paramos para analisar eles juntos. A de conhecimento e a biologia comprova que o corpo humano é composto de sólido (corpo) e líquido (sangue). Jesus citou que ele era o pão da vida que alimentava os famintos e os necessitados. E o sangue nos traz a redenção e purificação de nossos pecados.
Todos os discípulos fora dado o pão e vinho. Incluindo o seu traidor, Judas, participou como nada houvesse de acontecer. A ceia é o momento oportuno para o início da igreja. E através deste momento em que as últimas instruções são dadas aos onze. Os relatos da última conversa com os discípulos nós podemos ler no capítulos seguinte do evangelho de João (Jo 14-17). Jesus estava para ser preso naquela noite. Talvez a atitude de dar um pedaço molhado para Judas foi para que ele ao menos mudasse a ideia de o trair. Ou um simples alerta para os demais.



2 - A vida de Cristo estava nas mãos de Judas

Não se pode negar que Jesus poderia entreter Judas naquela reunião e assim evitar a prisão e consequentemente a sua morte. Mas, mesmo assim preferiu deixar a escolha e vontade de Judas. Os outros evangelho conta o preço da traição e como ocorreu. SeJoão trata da parte pessoal e aos pequenos detalhes daquele dia.
Dentro do original a palavra que foi traduzida como bocado ou pedaço nos diz o que realmente ela significava. Em seu contexto refere-se a um pedaço de pão esmigalhado ou farelo. E a palavra para molhado é “batzo” a mesma raiz de batismo. Ora interessante minutos antes Cristo faz a comparação “Tomai o pão, este é o meu corpo” (Mt 26.27) aquele segundo pedaço dado a Judas não fazia parte de um todo e sim aquilo que restara do pão. Aquele pequeno pedaço de pão estava representando todo o sofrimento que Jesus iria passar até a sua morte. E junto com ele todo a mudança que a sua morte viria através do batismo de Cristo na cruz.
E relevante para todos nós observamos que em nenhuma hipótese ele comeu a passagem de João nos diz que ele levou consigo. Ora porque levar um pedaço de pão? Pode ser que diversas dúvidas tenham passado pela cabeça de Judas neste período espaço de tempo o que levou ele a refletir.

3 - O que fazer com o nosso bocado molhado.

Ele sempre é visto como um traidor aquele que entregou a Jesus para morrer. Mas, não poderia ser outra pessoa a não ser Judas. O seu nome vem da raiz Judá. O mesmo nome de seu patriarca, ele estava representando todo o povo judeu na que exato momento. A revolta e a negação do Messias estava figurado sobre uma pessoa.
O que me levou a escrever foi esse pequeno fato ele levou consigo. O bocado que representa o sofrimento e a morte de Cristo. E nós? O que estamos fazendo com o nosso bocado? Somos libertos através daquele bocado que representa o sofrimento e morte de Jesus. Quantas vezes nós cristãos agimos como Judas? Vendemos a Cristo por algo que nos convém.
Muitas vezes procuramos viver a nossa vida da forma como queremos e esquecemos que entregamos a vida para que Ele viva em nós. A quanta falsidade e atitudes mesquinhas podemos tomar e agirmos como Judas e vender e entregar o nosso bocado para os sacerdotes.

Somos tentados e levando todos os dias a sabermos qual a verdadeira ação fazer com o nosso bocado molhado. Que sejamos firmes e constante em Cristo.

Shalom lekulam.
Paz a todos.

Tecnologia do Blogger.