EU PRECISO IR A IGREJA?

by junho 23, 2019


Uma das coisas mais notáveis a respeito da igreja do Novo Testamento é que ela incluía constantes reuniões de seus membros. Hoje, até mesmo as denominações possuem algum tipo de culto de adoração e esperam que seus membros “vão à igreja”. Cedo ou tarde, todos nós acabamos por fazer esta indagação, se precisamos ou não frequentar uma igreja? O que a Bíblia ensina a respeito disso? A frequência à igreja é essencial? Falar de “frequência à igreja” é, num sentido, redundante. É usar duas palavras no lugar de uma; a palavra frequência é praticamente desnecessária. A palavra igreja no grego significa “assembléia” ou “congregação” Ela envolve, por definição, uma reunião. Não é possível haver igreja sem uma assembléia. Se você acha que pode fazer parte da igreja sem participar do reunir-se, está pensando em algo diferente do significado da palavra traduzida por “igreja”. A Igreja não tem a necessidade do templo emoldurado com luxos e com aparatos que induzem que somente ali Deus está.
“O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;” At 17:24

Como seguidores, cristãos, caminhantes da Graça de Deus, podemos ser igreja em qualquer lugar que estejamos, gerando de forma voluntária os três aspectos que o encontro da igreja proporciona aos seus participantes, conforme Hb 10:25-26:

1) Somos Ajudados:

Confessamos, ouvimos, somos amigos, sem interesse, sem querer que a pessoa venha para nosso “clubinho evangeliquez”. Apenas ajudamos e somos ajudados, seja fazendo um almoço para chamar os amigos (sem ter que fazer aquela pregação eloquente e cheia de pseudo espiritualidade antes da refeição para demonstrar a sua espiritualidade), quando ajudamos na mudança de casa do novo vizinho, seja carregando aquele sofá pesado ou preparando um lanche no meio da tarde com aquele suco refrescante de cupuaçu, ou até mesmo, você pedindo ajuda ou conselho, conversando e compartilhando aquele problema que você tem (mas que muitas vezes não fala para ninguém, por que você tem a falsa obrigação de ser o megaultrapowersuper homem do avivamento e que nunca, jamais, pode demonstrar fraqueza ou que passa por algum problema). Ser ajudado ou ajudar, é ser humanitário, Jesus por onde passava queria saber as histórias, as dores, os motivos, as aflições. 

2)Podemos Encorajar Outros:

Não conseguimos encorajar pessoalmente alguém no meio de uma multidão, no máximo podemos olhar para a multidão e dar uma mensagem positivista, motivacional, chegando a ser enfadonha e muitas das vezes incompreendida, gerando pessoas repetidoras das mesmas receitas médico-espirituais que talvez darão certo ou não. Encorajar é olhar nos olhos, conversar, ser bom ouvinte, é se relacionar. Paulo ensina em Rm 12: 13-16 “Comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade; Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis. Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram; Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos;” Relacionamento que cria encorajamento, investir tempo, ser amigo e não manipulador. Ensinar sem persuadir. Ensinar o que vive e transmitir a verdade sem receita pré-definida.

3) Podemos Adorar a Deus:

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” Jo 4:23. Para muitos, você é a Bíblia em que seus colegas de escola ou de trabalho leem. Por mais que as pessoas saibam que você pode ser cristão, mas esperam um testemunho em que você não pode ouvir uma música secular, ou dizer um palavrão, ou assistir um programa de tv por que fomos ensinados dessa forma. Mas a vida em Jesus é muito mais que uma vida de regras em que você arderá no fogo do inferno caso você não as cumpra, não! Quando passamos a conhecer a Verdade de Deus, ela produz liberdade (Jo 8:32) e não aprisionamento de cultura ou de expressão de criatividade. Deus deu a humanidade o privilegio de dar prosseguimento da sua criação do Jardim do Éden e não o atrofiamento de nossos pensamentos. Nossas vidas não podem ser vividas sobre a opressão do que os outros vão pensar, se estou dando ou não testemunho bom do Evangelho. Mas sim, se que sou livre e, dentro dessa liberdade que possuo, eu tenho domínio sobre minhas atitudes e controle sobre meus atos, não responsabilizando Deus ou o diabo por minhas ações, mas assumindo minha responsabilidade e sendo voluntariamente um adorador em essência de Deus, todo o dia, toda a hora, todo o minuto, a cada segundo. Sem peso. Sem opressão. Sem pressão.
Do contrário não é graça, mas desgraça!


TEXTO DO MEU QUERIDO AMIGO MARCELO ALMEIDA

A geração de Mical

by junho 17, 2019
"Aconteceu que, entrando a arca do Senhor na cidade de Davi, Mical, filha de Saul, observava de uma janela. E, ao ver o rei Davi dançando e comemorando perante o Senhor, ela o desprezou em seu coração." 2 Sm 6:16

Muitas músicas gospel vem demonstrando a importância de um louvor extravagante ou sincero. Por muito tempo as igrejas foram proibidas de adorar a Deus de uma forma espontânea e livre, sempre seguindo o padrão robotizado e do "isso é errado'. Desculpas igual a "desse mundo eu já pertenci", "isso não é de Deus" e outros mais que prendem a adoração a Deus.
Assim com essa pequena introdução ao mundo atual cristão de algumas igrejas. Falaremos de
Mical é um exemplo de um crente preso a plastificação da adoração. Filha de Saul, ex rei de Israel e herdeiros ao trono ou estava na linha de sucessão. Vê seu marido David se expor no meio do público uma adoração extravagante e sincera. Alguns mais tradicionais podem dizer mas, ele estava nu (2 Sm 6.20) sem roupa. Se esquecem do ponto culminante, o motivo que levou Davi a dançar no meio do povo. A cultura do povo judaico é festivo e com muitas danças. No livro de Salmos nos diz que devemos louvar ao senhor com danças (Sl 150.4). Então porque deixamos de agir dessa forma? Porque estamos agindo como Mical?
O motivo de David.


David trouxera para a cidade de Jerusalém a Arca da Aliança(2 Sm 6) o que estava abandonada desde os dias da morte de Eli. No livro de Segunda Samuel vemos a primeira tentativa humana de levar a presença de Deus para o meio de Israel. Fracasso total o que causou a morte de uma pessoa. Ele estava acostumado com a "presença de Deus" em sua casa ao ponto de tornar comum e sem valor para ele. Muitas vezes agimos dessa forma a nossa adoração a Deus se torna comum e rotineira. Adoramos a um Deus vivo como se estivemos em um enterro e presos por cadeias que nos impede de adorá-lo em espírito e em verdade. Tornamos o culto de adoração e celebração a Deus em um mero encontro social. Com suas regras definidas e seu tempo cronômetro ado para tudo. Somente ao buscar a forma correta de se levar a Arca da Aliança que ele obteve o resultado e conseguiu levar para dentro de sua cidade.


Mical e suas prisões


Para Mical possa ser que aquele objeto não tivesse nenhuma importância. Não sabemos se ela tinha o conhecimento das atividades de David a respeito da arca. Ela podia estar acostumada com todos os rituais e costumes de seu povo a respeito de adorar a Deus. Mas seu coração estava longe dele. Uma das mais belas passagens para mim sem dúvida está em Jó 42.5, um homem que seguia todas as tradições e costumes da sua época a respeito de como adorar a Deus não conhecia a verdadeira forma de agradar a Deus. Às vezes é preciso mudarmos a nossa forma de adoração para conhecermos que Ele se faz presente.
O que lhe dá prazer? O que te atrai? Exaltamos e engrandecendo aquilo que nós damos importância. O que tem valor para nós exultamos e engrandecemos. Por esse motivo levar a arca era imprescindível para Davi. E para a sua esposa não tinha importância. Agimos muitas vezes como Mical, e negamos a importância da presença de Deus em nosso meio e nos prendemos por ritos e dogmas religiosos sem valor.


E como adorar a Deus?


Se você me perguntasse qual é a forma correta de se adorar a Deus? Simplesmente lhe responderia não existe. A forma de você adorar a Deus é com liberdade. Sem estar presos a religiosidade, não é bater palmas por causa dos outros. Não é dançar porque seus amigos fazem parte do ministério de dança. É ser livre para celebrar e adorar ao criador de todas as coisas. O livro de Salmos vem nos mostrando a forma como os salmistas O adoravam. Louvai ao Senhor na beleza de seu poder, louvai ao Senhor com címbalos sonoros, todo o ser que respira louve ao Senhor.
A adoração mecânica e plastificada não leva a lugar algum. Precisamos de experiências vivas e sinceras para com Deus. Nosso Deus é Vivo e a sua adoração tem que ser viva e eficaz.

Shalom Lekulam.

Manopla ( a joia do poder)

by maio 25, 2019
"E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra." Mt 28.18

Tubalcaim, Faraó, Nabucodonosor, Ciro, Alexandre, o grande, Hitler, Stalin e muitos outros. Todos estes tiveram o sede pelo poder a ânsia de conquistar todas as nações e a humanidade. Pessoas que tiveram seus motivos para quererem dominar. O Egito grande país avançado em tecnologia com uma bacia hidrográfica fértil e rica. Era de notar que seus líderes quisessem ter o controle de todo o resto do mundo. Assim foram os outros com o menor tamanho e a grandeza do Egito antigo.
Jesus disse que todo o poder foi dado a ele, mas, que poder? Ao vermos a sua vida podemos notar que o poder que ele tanto pregou ele não teve. Alguns podem dizer mas era para cumprir a passagem de Isaías 53, o servo sofredor, a sua vida foi de sofrimento e dor ao longo de seus trinta e três anos.
Vamos ver qual era o poder. Jesus ao ser questionado por Pilatos ele disse que o seu reino não era deste mundo. Logo, o seu poder também não era, então, a sua autoridade vinha de outro lugar. O seu poder estava relacionado com a vida, com o poder que vinha do alto. É esse poder que ele se referia e deixou para os nós.
Somos chamados para fazer o seu ide e fazer obras maiores as quais ele fez. Voltarei um pouco mais no tempo. Em II RS 2 lemos sobre o arrebatamento de Elias. O pedido de Eliseu foi provado dobrado do espírito de Elias, ou melhor, do espírito que estava sobre a vida de Elias. E podemos notar que a partir do capítulo três de II Reis os milagres que Eliseu realizou obras maiores que Elias. Assim, nós somos chamados e levados fazer obras maiores que Cristo. O poder que vem do alto está sobre a nossa vida. Este é o verdadeiro poder que move o mundo, a unção que Deus nos deu através da morte de Cristo no calvário.


Shalom Lekulam.

Uma carta de Amor

by maio 09, 2019

Vocês demonstram que são uma carta de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo; não em tábuas de pedra, mas em tábuas de corações humanos.
2 Coríntios 3:3.
A Palavra de Deus é a carta de amor mais explicitamente escandalosa escrita em toda a história humana. Para compreendê-la é necessário receber Jesus como Senhor de nossas vidas e obedecer seus mandamentos.
Quem tem os meus mandamentos e lhes obedece, esse é o que me ama. Aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me revelarei a ele”.
João 14:21.
Este é o meu mandamento: Amem-se uns aos outros.
João 15:17.
Não existe uma medida exata para esse amor tão expressivo , tudo que sabemos é que mesmo sem merecermos Ele nos ama e cuida de nós. Não precisamos de outra referência, que não seja a do próprio Filho , há muitos ensinos sobre a salvação e a crescente expectativa de como será nossa vida nas moradas eternas , nos céus , porém não se trata de merecimento ou mérito mas sim de como já recebemos e vivemos essa salvação nessa vida , em meio as muitas lutas do dia a dia. O amor de Deus só pode ser visto através de nossas vidas , nosso comportamento e nosso testemunho pessoal , tudo o que somos e nos tornamos é o resultado de nossa vida no secreto , no tempo que gastamos para compreender e praticar sua Palavra e na comunhão com o próximo.
Faça para si a seguinte pergunta: Como anda minha vida ? Meus pensamentos e comportamentos tem sido prova de que Deus me deu o Seu Espirito? Estou amando como Cristo me ensinou? Reflita...
Somos carta e tesouro precioso para Deus , todo o nosso tempo , esforço e lucros devem se voltar para o que uma vez recebido possa ser desenvolvido , ou seja , nossa salvação.
Assim, meus amados, como sempre vocês obedeceram, não apenas na minha presença, porém muito mais agora na minha ausência, ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor,
Filipenses 2:12.
Que Deus abençoe a todos que em Cristo já estão salvos , divulgue , compartilhe , propague e espalhe a Palavra do Senhor.

Manopla (joia do Universo)

by maio 06, 2019
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”Jo 3:16
Um texto conhecido, se não o mais pregado nas igrejas. E limitamos ele por causa de nossa ignorância ou falta de conhecimento. A palavra que foi traduzida como mundo é κοσμον (kosmon) o que podemos traduzir como  “universo”. Então farei uma outra tradução. “Porque Deus amou o universo” se voltarmos para o primeiro versículo da bíblia (Gn 1.1) Podemos observar que a terra fora sua criação e ao longo de todo o capítulo observamos a construção de todo o sistema planetário que o homem conhece e aquele que ainda não conhece.
O homem procura olhar para as estrelas procurando muitas coisas: a origem humana, soluções para atuais problemas da humanidade, vida em outro planeta e enfim muitos mistérios e pesquisas que serão inúteis. Gosto muito do Sl 24.1 para mim o salmista foi perfeito e divinamente inspirado ou compor esse verso. “Ao Senhor pertence a terra e tudo que nela se contém. O mundo e os que nele habitam.”  Qual a importância damos ao nosso criador? ao dono da terra? Existe um ditado popular que diz: “Não sou dono do mundo, mas sou filho dele” Muitos colocam essa frase em seus carros, em quadros ou até mesmo tem essa frase como seu slogan de vida. Mas, qual é a importância que você dá para Ele?
Cientistas querem procurar o motivo para a origem de tudo, assim, como a jóia do Universo tem o poder de criar e destruir toda a vida existente. A procura incansável dos cientistas em querer matar o seu criador os tornam secos e sem vida. Porque é tão difícil aceitar a existência de um Ser Supremo? Detentor de um poder para criar toda a existência. Procuramos aquilo que é inexplicável ao invés de acreditar naquilo que é visível. Usamos a jóia do universo para satisfazer nossas vontades egoístas e nossos pensamentos humanistas. Pecamos em querermos nos colocar no lugar de Deus. Nosso egoísmo nos tira da sua presença e faz com que tudo aquilo que fora criado por Ele seja desfeito.
Qual seria a melhor demonstração de seu amor do que estes? De se doar para a vida de sua criação que o rejeita. E procura diversas formas de negar a sua existência? Sim, porque Ele amou criou tudo que existe ao nosso redor e o que não podemos ver. O ato de amor que se entregou através de um pequeno gesto que criou a luz. Meditemos na jóia que é esse grande Universo que demonstra a existência de um Deus tão grande.


Shalom.

Manopla do Cristão (Joia do Tempo)

by maio 03, 2019
O tempo sopra o meu rosto, me lembrando que o tempo vai com ele... ( O tempo - oficina G3). 
"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu." Ec 3.1

Salomão com toda a sua sabedoria escreveu no livro do pregador (Eclesiastes) que existe o tempo de tudo. Tempo de cantar, chorar, rir, dormir, acordar nascer, morrer e para outras coisas. Assim como a joia do tempo tem o seu poder de controle sobre tudo, o tempo exerce poder sobre nós. O que estamos fazendo com o nosso tempo??
Pergunta simples mas para muitos não saberiam me dar uma resposta, pois, não sabe o que se está sendo feito dele. Culpamos os nossos afazeres do dia a dia, trabalho, casa, faculdade (escola) e até mesmo a igreja. Mas quanto das 24 horas diárias nos damos para Deus? Em média o trabalhador pela CLT (código de leis trabalhistas) do Brasil passa oito horas do seu dia dentro de uma empresa, podendo variar para seis horas. E o resto  do nosso dia? Podemos estar dormindo o qual em média o recomendado seja de seis a oito horas de sono. E mesmo assim ainda fica faltando oito horas diárias.
Jogamos fora um terço do nosso dia com coisas muitas vezes supérfluas sem importância.
O que oferecemos a Deus o que nos deu a vida e nos criou? O salmista foi inspirado por Deus ao confirmar que Ao senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém (Sl 24.1). Deixamos a adoração de nosso criador e fugimos de sua presença por causa de nossos prazer. 
No livro de Lucas (Lc 12.20) resume o final do tempo terreno. Jesus diz que aquele homem que preparou tudo e abasteceu os celeiros de louco. Mas, o fim de seus dias estava as portas. E o que nos adianta ganhar o mundo e perder a nossa alma?

Voltemos busquemos verdadeiramente a Deus. O profeta Isaias  exorta ao povo de Israel a buscar a Deus em.quanto se pode achar. Hoje o alerta de estende até mim e a você. 
Voltemos ao primeiro amor busquemos a Deus com todo o nosso coração.POIS O SEU TEMPO ESTÁ PRÓXIMO.

A manopla cristã (jóia da mente)

by abril 29, 2019
Nesses dias o filme dos vingadores estreou e sem dúvida é o assunto mais comentado em diversos países. E por que um blog cristão deve falar sobre isso? Simples, as joias tem tudo haver com a vida cristã. Em seis semanas apresentarei pequeno comentário sobre cada uma específica.

"E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento*(mente), para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." Rm 12.2

A jóia da alma tem o poder sobre a vida das pessoas podendo até destruí-las. Mas, o que a Bíblia nos diz? O Apóstolo Paulo ao escrever para os cristão de Roma estava preocupado com a forma de viver daquela cidade e como eles se comportavam diante da sociedade. E em sua carta podemos analisar a completa mudança de vida que nós devemos ter diante da nossa sociedade como um todo. Jesus diz que nós somos a luz do mundo e o sal da terra. A importância de termos uma vida diferenciada é muito grande.
E porque mudar a mente? Não podemos ser seguidores de Cristo se nós mantivermos a mesma postura que antes. Cristo em uma conversa com um doutor da lei disse: “É necessário nascer de novo”. Como nascer novamente e continuar com o mesmo pensamento e ações? É a partir desse novo nascimento que as nossas ações e atitudes devem mudar. Paulo nos alerta ainda mais que somos uma nova criatura, as coisas velhas já passaram. Viver de forma do diferente de antes e uma das principais jóias que o crente tem.

Shalom lekulam.

O Bocado mollhado

by março 29, 2019
"Respondeu -lhe Jesus.É aquele a quem Eu der este pedaço de pão molhado no prato.” E tendo molhado o pedaço de pão, deu-o a Judas Iscariotes, filho de Simão." Jo 13.26


Ao ver um episódio da novela “Jesus” da TV Record, me deparei com a representação da “última ceia”. Ao longo de todo a cena veio os trechos das páginas sagradas em minha mente. Mas, uma simples frase me chamou a atenção. “AQUELE A QUE EU DER UM BOCADO MOLHADO”. Já li várias vezes essa mesma passagem creio que muitos de nós também passamos por essa passagem e não reparamos a profundidade desta frase de Jesus. Separei três pontos que me chamou a atenção.

1 - Representatividade do Corpo de Cristo

O evento ocorre logo após a ceia e a representatividade do Corpo de Cristo no gesto da ceia. Alguns dos símbolos mais importantes do cristianismo são demonstrados nessa passagem. O pão e  vinho (corpo e sangue). A partilha desse tem um simbolismo muito forte separado, mas, não paramos para analisar eles juntos. A de conhecimento e a biologia comprova que o corpo humano é composto de sólido (corpo) e líquido (sangue). Jesus citou que ele era o pão da vida que alimentava os famintos e os necessitados. E o sangue nos traz a redenção e purificação de nossos pecados.
Todos os discípulos fora dado o pão e vinho. Incluindo o seu traidor, Judas, participou como nada houvesse de acontecer. A ceia é o momento oportuno para o início da igreja. E através deste momento em que as últimas instruções são dadas aos onze. Os relatos da última conversa com os discípulos nós podemos ler no capítulos seguinte do evangelho de João (Jo 14-17). Jesus estava para ser preso naquela noite. Talvez a atitude de dar um pedaço molhado para Judas foi para que ele ao menos mudasse a ideia de o trair. Ou um simples alerta para os demais.



2 - A vida de Cristo estava nas mãos de Judas

Não se pode negar que Jesus poderia entreter Judas naquela reunião e assim evitar a prisão e consequentemente a sua morte. Mas, mesmo assim preferiu deixar a escolha e vontade de Judas. Os outros evangelho conta o preço da traição e como ocorreu. SeJoão trata da parte pessoal e aos pequenos detalhes daquele dia.
Dentro do original a palavra que foi traduzida como bocado ou pedaço nos diz o que realmente ela significava. Em seu contexto refere-se a um pedaço de pão esmigalhado ou farelo. E a palavra para molhado é “batzo” a mesma raiz de batismo. Ora interessante minutos antes Cristo faz a comparação “Tomai o pão, este é o meu corpo” (Mt 26.27) aquele segundo pedaço dado a Judas não fazia parte de um todo e sim aquilo que restara do pão. Aquele pequeno pedaço de pão estava representando todo o sofrimento que Jesus iria passar até a sua morte. E junto com ele todo a mudança que a sua morte viria através do batismo de Cristo na cruz.
E relevante para todos nós observamos que em nenhuma hipótese ele comeu a passagem de João nos diz que ele levou consigo. Ora porque levar um pedaço de pão? Pode ser que diversas dúvidas tenham passado pela cabeça de Judas neste período espaço de tempo o que levou ele a refletir.

3 - O que fazer com o nosso bocado molhado.

Ele sempre é visto como um traidor aquele que entregou a Jesus para morrer. Mas, não poderia ser outra pessoa a não ser Judas. O seu nome vem da raiz Judá. O mesmo nome de seu patriarca, ele estava representando todo o povo judeu na que exato momento. A revolta e a negação do Messias estava figurado sobre uma pessoa.
O que me levou a escrever foi esse pequeno fato ele levou consigo. O bocado que representa o sofrimento e a morte de Cristo. E nós? O que estamos fazendo com o nosso bocado? Somos libertos através daquele bocado que representa o sofrimento e morte de Jesus. Quantas vezes nós cristãos agimos como Judas? Vendemos a Cristo por algo que nos convém.
Muitas vezes procuramos viver a nossa vida da forma como queremos e esquecemos que entregamos a vida para que Ele viva em nós. A quanta falsidade e atitudes mesquinhas podemos tomar e agirmos como Judas e vender e entregar o nosso bocado para os sacerdotes.

Somos tentados e levando todos os dias a sabermos qual a verdadeira ação fazer com o nosso bocado molhado. Que sejamos firmes e constante em Cristo.

Shalom lekulam.
Paz a todos.

Voltar a origem (Primeiro amor)

by fevereiro 01, 2019

"Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor." Ap 2.4

Toda a construção quando iniciada tem os seu alicerce. Assim podemos comparar a vida espiritual. Referir-se a primeiro amor nos remete a voltar às nossas origens aos nosso primeiros ensinamentos. Paulo escreveu a Timóteo para que ele permanecesse naquilo que ele tinha aprendido (II Tm 3.14). Paulo poderia dizer a ele que ficasse naquilo que Paulo ensinou, mas, ele volta às origens de seu discípulo. Não sabemos muito a respeito da mãe de Timóteo, apenas sabemos que ela era judia casada com um grego. Ao dar ênfase a essa educação o apóstolo estava se referindo ao seu conhecimentos sobre as leis de Deus para o seu povo, a qual era comum para o seu discípulo.
Mas falando sobre voltar ao primeiro amor é justamente o que Paulo escreveu para Timóteo e voltar às nossas origens. Rever conceitos que foram alterados e suas explicações sobre a mudança em relação ao assunto. Crescemos, aprendemos, pensamos de forma diferente, tudo isso nos leva a ver o mundo ao nosso redor de outra forma. O que faz com que mudemos nossas ações para com os outros, conosco e para com Deus.
Assim é a vida. Paulo escreveu aos coríntios (I Co 13.11) que as atitudes comportamentais tendem a mudar com o passar dos anos. Ora se as nossas ações tendem a mudar porque voltaríamos? Alguns pontos podemos descrever como sendo necessários. E na infância que o nosso caráter é formado. No mesmo período os mais importantes aprendizados são adquiridos e conquistados. Se pararmos para analisar por esse ponto de vista, tudo o que nós somos faz parte da nossa infância. E assim os hábitos precisam ser revistos e repensados.


1 - Ser como criança.


Jesus em um de seus sermões disse quem não fosse como uma criança não herdariam o reino de Deus (Mt 18.13). Palavras que fazem você refletir em muitos outros textos bíblicos tanto no velho como no novo testamento nos fazem a comparação entre o adulto e a criança. Não para voltar ou regredir as nossas atitudes, mas, manter a pureza no coração e ações sinceras.
Uma vez fui questionado ao dizer que preferia um louvor de crianças do que de um adulto. O motivo é simples: Quantas vezes nós adultos estamos cantando e adorando a Deus da boca para fora? Ao contrário de uma criança. è difícil você obrigat ou fazer com que uma criança ore e cante a Deus se ela não quiser. A sinceridade de uma criança move o coração de Deus. É por causa disso que Jesus fez a grande comparação com as crianças em seu sermão. Aprender a amar uma pessoa sem interesse ou por aquilo que ela possa nos oferecer.


2 - O maior mandamento.


A vida de um judeu e os mandamentos para nós cristão está baseado nos dez ditos (mandamentos) Ex 20.3-17. Jesus ao ser perguntado sobre qual era o maior mandamento ele deixou apenas dois; “amar a Deus e amar ao próximo” (Mt 22-34-40). O amor é a maior coisa que podemos fazer para com o outros. Mas, o que vem ser amar? Segundo o site bíblia paralela que usa o dicionário strong em seu banco de dados. A palavra ágape e denotada para a palavra amor. Mas ela vai mais além podemos usar ela para benevolência, afeição, amor e boa vontade. Então podemos dizer que o amar e ter afeição por alguém.
Quando nos amamos queremos estar sempre por perto da pessoa. A relação dos apaixonados é um bom exemplo do que é amar alguém. É nesse período que os dois estão sempre juntos conversando e se conhecendo constantemente. A vida espiritual podemos comparar dessa mesma forma. No livro de Cantares (Ct 5.8) Salomão escreveu sobre a paixão e a forma de como ele se sentia por não ter o seu noivo por perto. Podemos fazer a analogia entre Cristo e a igreja. Deixamos o nosso amor por Cristo se esfriar. Nosso dia a dia, profissão, estudos, família e muitas outras coisas colocamos no lugar que é dEle. E assim com o passar do tempo nos tornamos pessoas secas que apenas o têm como um conhecido ou como Ser Superior que alguns dizem que existe.

Conclusão


Por que não voltar? alguns não gostam da expressão se apaixonar por terem como algo passageiro. Mas é a na paixão que o fogo arde pela íntima comunhão com Deus. E quando nascemos novamente e as coisas se faz nova que aprendemos que Ele é a melhor coisa que pode ter nos acontecido. Por que esquecemos dos nossos primeiros dias com o pai? Que o nosso final possa ser melhor que o nosso começo (Ec 7.5).


Shalom Lekulam.

Recomeçar (Voltar ao primeiro amor)

by janeiro 25, 2019
“Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus”. Fl 3.13-14



Todas as vezes que começamos um novo ciclo em nossas vidas a primeira palavra que pensamos é RECOMEÇAR. Mas, porque recomeçar? Por ser justamente o que Paulo nos diz no versículo treze  para esquecer e deixar para trás. Erros, frustrações, quedas, negócios que não deram certo e muitos outros motivos e razões para nos fecharmos um ciclo e ter um novo começo. A humanidade teve diversos começos as quais chamamos dentro da história de “eras”. E assim, em todo início de “era” um sinal de um recomeço. Usando as próprias palavras do apóstolo Paulo no versículo quatorze prosseguir não é esquecer o que se passou é seguir em frente. Visar o futuro e o alvo que queres alcançar.


1 - Noé.


No livro de Gênesis (Gn 8.17) lemos a história de um novo recomeço da humanidade. Nos dois capítulos anteriores vem contando a perversão total que a vida na terra estava sofrendo. A principal causa desse novo recomeço fora a maldade (Gn 6.5-7). O que era para ser destruído por completo se pode ter um novo recomeço graças a um ser humano. Noé não temos detalhes sobre a sua vida além do capítulo seis, apenas sabemos que ele era o sétimo depois de Sete. Dentro do livro apócrifo de Enoque diz que ele era parecido como os filhos dos anjos, e por causa disso ele seria especial. A veracidade do livro muitos podem querer contestar mas, a própria palavra de Deus nos diz que os pais de Noé tinham esperanças que nele aconteceria algo diferente (Gn 5.29).
Ao longo de toda bíblia leremos muito o nome de Noé e o seu exemplo deixado para nós. No capítulo 11 de Hebreus o autor desconhecido faz uma pequena ênfase sobre a pessoa de Noé (Hb 11.7). A sua fé em Deus o colocou na galeria dos heróis da fé, como o capítulo onze de Hebreus é conhecido no meio evangélico. Os três capítulos nos falam muito a seu respeito e a sua devoção a Deus. Hoje podemos imaginar como é chover e ter uma grande inundação. Mas e para Noé que o seu mundo era completamente diferente do nosso?


2 - Jabez.


Existe um personagem que só sabemos a história dele por causa de dois versículos (I Cr 4.9-10). O texto que fala sobre ele define muita coisa a respeito de sua pessoa. Um descendente da tribo de Judá com nomes de pais desconhecidos e motivos misteriosos e uma oração sem fim. É um tema para muitos pregadores em suas teorias e pensamentos sobre como seria esse fim.
Existe um artigo no blogger sobre sobre esse tema. O que é mais interessante que aquela oração marcou um novo começo na vida de Jabez (ler artigo). Ele passou de um simples desconhecido e sem importância e alcançou a graça de estar registrado um de seus feitos dentro da cronologia de sua descendência. Assim, como Noé Jabez também viveu em uma época de recomeço. Segundo historiadores Jabez viveu na época da conquista da terra de Canaã. Uma “era” que marcou a vida de todos os judeus até os dias de hoje.


3 - Paulo.


As “eras” são formadas por momentos que nós passamos e marcos que mudam por completo vidas de diversas pessoas. A era cristã é marcada pela vida de dois homens para nós cristãos. Jesus, o Cristo, seu nascimento marcou de uma vez por todas a história da humanidade. Apesar de se ter um erro dos anos de seis a quatro anos antes do estipulado como marco zero. Seu nome mudou diversas vidas e “eras” de muitas pessoas.
Assim, foi a vida de Saulo, um homem sábio conhecedor das leis judaica discípulo de Gamaliel. Jamais imaginaria que em uma estrada teria sua vida transformada (At 9). A mudança em sua vida marcou e marca gerações de cristãos que inspirados pelos seus ensinamento escritos para diversas igrejas de sua época. Até hoje é tida como a base de uma verdadeira vida com Deus.


Você e Conclusão
Somos levados através da fé a mudar a nossa “era”. O livro de Segunda Coríntios (II Co 5.17). Nos mostra que mudamos de forma através da nossa crença em Deus. através do sangue derramado que alcançamos a plena retidão para as nossas vidas.
Que Deus nos abençoe e nos guarde e que a cada recomeço, possamos estar mais e mais firmes em Deus e em sua palavra.


Shalom Lekulam ( PAZ A TODOS)

Primeiro amor ( O que é)

by janeiro 18, 2019

Em meus textos não sou muito de usar o novo testamento como base prefiro os textos do velho
testamento. Mas, esse me chama a atenção. Vivemos em tempos onde a frieza espiritual vem
tomando conta de muitas igrejas e com isso muitos deixam de serem cristãos e abandonam a fé.
Paulo deixou um alerta a Timóteo que teriam homens amantes de si mesmo e que deixariam as
coisas de Deus (II Tm 3.1-5). Muitos podem dizer que seriam homens mundanos (não
convertidos) mas, eles eram de dentro da igreja (II Tm 3.7). As advertências contra a apostasia
de muitos já era grande e preocupante para os líderes do primeiro século. Alguns devidos às
perseguições abandonaram a fé deixando assim, o dom da salvação de lado. João na ilha de
Patmos tem uma das mais belas visões que alguém poderia ter em vida.
Não sabemos o tempo exato daquela visão mas temos a certeza de que o próprio Deus
desceu dos céus para lhe entregar a grande revelação. Os primeiro capítulos podemos falar
que são específicos a igrejas que existiam naquela época, e que ao longo de toda a história do
cristianismo. Muitas outras passaram pelos menos problemas dessas sete igrejas da Ásia Menor.

1 - A igreja de Éfeso.

A igreja de Éfeso, provavelmente fora fundada por Saulo em suas viagens missionárias descritas
no livro de Atos (Atos 19.1) ou simplesmente passou por aquela igreja já existente. Em sua carta
à Éfeso vemos a forma carinhosa de como Paulo tratou aquela igreja. Sempre aconselhando
da melhor forma possível e com a dureza que ele levava consigo. João tem uma profecia a
respeito desta grande igreja da época. Paulo provavelmente já estava descansando no Senhor.
E seus ensinos deixados eram fortes no meio da igreja onde ele estivera. Em seu comentário
R. N. Champlin diz que ela tinha tudo para ser uma igreja perfeita e que nada havia de errado
com ela a não ser ter deixado o primeiro amor. Paulo nos lembra nas cartas ao Coríntios o que
devemos saber para ver se um profecia é verdadeira (I Co 14.3). Exortar, consolar e edificar
essas três coisas tem que ter em uma profecia. Se pudermos analisar o texto que se refere a
igreja de Éfeso podemos encontrar esses três pontos essenciais dentro da passagem.
Ela era uma igreja que preservava e se mantinha ainda nos verdadeiros ensinamentos.
Os versículos 2 e 3 fala sobre a grande importância de seu amor por Cristo e de se permanecer
fiel aos ensinamentos dos apóstolos. Não se sabe em qual momento a igreja passou a deixar de
praticar as primeiras obras. A única causa da exortação de Deus foi simplesmente ter deixado
as primeiras obras e o primeiro amor.

2 - O que é primeiro amor.

O que seria esse primeiro amor? É uma grande questão para todos nós sabermos diretamente o
que seria. Podemos dizer que estava ligado aos ensinamentos dos apóstolos quais ensinou-os a
permanecerem firmes e constante nele. Com a morte dos apóstolos muitos líderes surgiram com
o interesse naqueles agrupamentos meios de espalhar sua falsa doutrina (At 20.36-38).
Não falarei de costume (vestimentas, rituais e métodos) e sim do que se trata de doutrina.
O que podemos considerar é ensinamentos passados a seguidores de uma crença. As verdades
sobre o Cristo estavam em fase de mudança e logo o amor a verdade ensinada estava ficando
de lado. Não é muito diferente nos nossos dias muitos cristãos estão abandonando a verdade
de Cristo para viver outras teologias humanas. Paulo tinha a plena convicção que esses
dias poderiam chegar para todos e exortou a Timóteo a seguir firme nos seus ensinamentos
(II Tm 3. 14-16).
O que pode esperar de nossa atual sociedade? A cada dia que se passa vivemos em uma
sociedade que procura o seu bem próprio e se esquece do seu próximo.
Somos levado a colaborar para “Deus” através de ofertas e dízimos para conseguirmos algo do
Ser Supremo. Os ensinamentos de Cristo nunca se dirigiu a seu próprio bem-estar e sim o do
seu próximo (Mt 25.35). A igreja chamada primitiva era consciente de seu dever aqui na terra e
compreendia muito bem o seu dever. Jesus deixou apenas dois mandamentos e neles estão toda
a lei mosaica (Mt 22.39). As igrejas tinham o pleno conhecimento de que esse era o dever delas.

Conclusão

Onde está o nosso amor? Será que temos realmente o dever de Cristo em nossas vidas. Muitos
de nós precisamos da correção da igreja de Éfeso e voltar ao primeiro amor de Cristo. Estar
perto e viver como ele viveu. Existe um hino antigo que diz: “O que faria Jesus em meu lugar …
será que ele faria aquilo que eu faço”. Ao escrever o texto me lembrei deste hino e logo pensei
naquilo que ao longo de minha vida cristã venho fazendo. Será que estou praticando o amor
de Cristo? Será que assim como muitos também preciso voltar ao primeiro amor?
Não estou julgando ninguém apenas uma reflexão sobre o nosso dia a dia e o viver em Cristo.



VOLTEMOS AO PRIMEIRO AMOR
Tecnologia do Blogger.